quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O louvor e adoração na Assembleia de Deus








Esses últimos dias têm sido dias de análise. Estou analisando tudo que aconteceu há cerca de três anos pra cá. Foram dias iniciados por grande revolução interior. Meu coração clamava por mudança. Eu estava desesperada por poder praticar o que estava gerando em mim.
Foi quando"o novo de Deus" chegou para minha vida.
Lembram-se desse post? http://ombrosungidos.blogspot.com/2009/01/novo-momento.html9/01/novo-momento.html

Em fevereiro de 2009 fomos empossados na direção da Assembleia de Deus Nova Angra 1, congregação do Ministério Sul Fluminense. Digo "fomos empossados" porque meu pai, como pastor (Pastor Eli), não foi sozinho, mas com toda sua família.

Entramos nessa nova empreitada de cabeça e de peito aberto. Nosso coração entrou com tudo nessa também e iniciamos nosso trabalho com a intenção de fazer daquela igreja e daquelas pessoas nossa família.

O início da minha visão

A primeira coisa que pensei a respeito quando cheguei ali foi o louvor. Tenho um desejo em mim sobre a visão do que seja louvor nas Assembleias de Deus. Meu desejo é além do que ter cds, viajar o mundo e ganhar almas através da música.

Entendo que a responsabilidade do louvor na minha denominação seja direcionado aos grupos e departamentos, ou às pessoas que cantam sozinhas, como eu.
Acho isso muito louvável, até porque oportuniza várias pessoas. Mas não acho que isso seja totalmente certo. Veja bem, isso é apenas a minha opinião diante aos 26 anos que tenho congregando em uma igreja extremamente pentecostal e viajando pelo Brasil e até à Europa e observando como funciona o sistema.
Cheguei a uma conclusão óbvia.

Excelência

O louvor na Assembleia de Deus parou de ser direcionado à Deus há um bom tempo. Desde que se iniciaram os cânticos de auto ajuda, onde o homem passou a ser o foco, o louvor parou de ser realidade.

Os ritmos passaram a mandar e o que acendia o fogo era o tal do forró. Ainda bem que essa era está passando. Não importavam as letras das canções, mas se era ritmado e te fizesse levantar do banco com paradinhas marcadas na bateria era de "fogo". Aff... Quantas vezes fui cantar e ouvia o pastor pedir isso: "Cante música de fogo..."

Vocês acham que eu fazia o quê? Eu cantava aquilo que Deus havia colocado em meu coração porque sempre achei que para Deus temos que fazer com excelência. E excelência diz respeito à ensaios, preparação vocal e principalmente preparação espiritual. E como poderia cantar algo que não curto? Algo que não acho belo e apresentável por minha pessoa. Deus respeita nossas opções e por isso deu a cada um uma diferente personalidade. E isso também tem a ver com nossa formação musical.

Os levitas, o que são?

A Bíblia é muito clara quanto à responsabilidade que era dada às pessoas que eram chamadas para específicos ministérios. Os levitas, um termo já conhecido e utilizado para designar os músicos ou cantores, se destacaram no espisódio em que Moisés, ao descer do monte, se deparou com o bezerro de ouro. Eles se levantaram no meio do povo para servir ao Senhor e desde então não pararam mais.

Mais tarde, no tabernáculo, eles foram instituídos por Deus para auxiliar Arão e seus filhos nos afazeres do tabernáculo. Eles que cuidavam dos objetos sagrados, transportavam a arca da aliança, dentre outroas coisas.

Para quem não sabe, eles são da tribo de Levi, e só no período do reinado de Davi, a música foi inserida como parte integrante do culto. Afinal, Davi era músico e compositor desde a sua juventude (I Sm 16:23). Então, atribuiu a alguns levitas a responsabilidade musical.
Em I Crônicas (9:14-33; 23:1-32; 25:1-7), vemos diversas atribuições dos levitas. Havia então entre eles porteiros, guardas, padeiros e também cantores e instrumentistas (II Crônicas 5:13; 34:12). Aqueles levitas, designados por Davi para o louvor, eram liderados por Asafe, Hemã e Jedutum, e tinham a tarefa de PROFETIZAR com harpas, alaúdes e saltérios (I Crônicas 25:1).

Por isso eu levanto a bandeira de que para ser levita, não basta ser da tribo de Levi, tem que ter o chamado. Para que um levita entrasse para a obra do tabernáculo ele deveria ser separado mediante uma cerimônia especial. Eles eram purificados ao oferecer sacrifícios sendo espargidos com água misturada com cinzas de bezerra ruiva, barbeando-se e lavando seus vestidos. Os sacerdores impunham as mãos sobre os levitas na cerimônia de consagração e o mais importante de tudo. O levita não tinha direito à nenhuma terra, ou seja não tinha possessão de terra, como as demais tribos. Sua herança era o Senhor! Aleluia!

(Depois vou transpor isso para os dias atuais... em outro post, ok?)

Ministério de louvor na sede

Há alguns anos atrás, há cerca de oito anos, mais ou menos, senti o desejo no meu coração de montar um Ministério de Louvor na Assembleia de Deus Ministério Sul Fluminense Sede. Nessa igreja eu cresci, ali eu nasci e fui apresentada ao Senhor. Meus primeiros passos foram dados ali e ali aprendi a cantar.

Foi tudo com muita luta. Chamei as meninas, a Kelly, Gislaine, Mima e tínhamos uma grande dificuldade com vozes masculinas. Víamos no Michel, que era bem novinho ainda (hoje já está noivo e vai casar...rs), um grande futuro. Também tinham o Hállan e o Jhonny, eram todos da mesma idade e gostavam de cantar... seria um investimento. Até porque ainda não dividiam vozes e tal... No ensaio tínhamos muito trabalho em passar as vozes e afinar. E eles tinham uma mania de vibrar como o vocal "a la Cassiane"... Ah, como era difícil!

Na verdade, a maior dificuldade eu sentia no fato de que eram considerados participantes do ministério de louvor apenas os que cantavam. Não tínhamos músicos fixos. Ninguém queria valorizar, ningúem queria mais responsabilidade e para começar, nem o pastor apostava muito. Éramos vistos como "grupinho de louvor". Não havia liderança. Não havia muito respeito a uma voz e nem dias fixos de ensaios. Era uma grande dificuldade porque o pastor não olhava para a responsabilidade de um "grupo" ministrando louvor na igreja.

Os recursos que utilizávamos? Ham???? Já tentei usar o retroprojetor (naquela época não tinhamos datashow ainda). Mas para isso, as cortinas do púlpito deveriam ser mexidas... e teríamos que mudar a posição de algumas cadeiras. Algo impossível. Na liturgia do templo e nas regras não poderíamos interferir.

Ainda tínhamos que contar com os narizes torcidos do povo quando cantávamos, porque ninguém ficava de pé e achavam uma grande besteira isso. Fora que a nossa oportunidade era resumida a apenas uma canção e pronto. E a música ainda tinha que ser de "fogo". Senão, não receberíamos mais a chance de cantar.

Era séria a coisa, gente. Muitas vezes ao cantar e ministrar o louvor eu me deparava com meu amado pastor (entendo que isso tudo foi para o meu crescimento e agradeço a Deus por experiências como essa) em pé debruçado no púlpito de granito com a mão no queixo esperando que acabássemos de cantar. Isso me deixava arrasada. Quantas vezes corria para o banheiro e me trancava para chorar! Era realmente muito difícil.

Depois disso, eu comecei a ministrar menos porque estava viajando muito aos finais de semana e não tinha tempo para ensaiar. Quase não estava mais aos domingos na igreja. Então, fui saindo do grupo aos poucos e eles começaram a andar com as próprias pernas. Quem eu achava que iria ministrar não enfrentou de cabeça, e outra pessoa passou a liderar às ministrações.

Hoje, o grupo já não é chamado de grupinho mais (graças a Deus!). Eles têm mais componentes, já que os músicos passaram a encarar com mais seriedade. Ensaiam mais do que antes (não quanto deveriam...), mas ainda não tem uma liderança, já que isso deve ser algo ordenado pelo pastor. A igreja ainda não fica de pé para cantar com eles (não conseguem entender que esse momento é da igreja. Não é um grupo que canta, mas é a igreja inteira que em uma só voz adora ao Senhor!). Eles ainda cantam apenas uma canção, após a leitura da Bíblia (o que faz muita gente pensar que o culto ainda não começou, porque só começa no momento das oportunidades). Não utilizam recursos como o datashow (já tem um disponível para o uso da igreja), o que é essencial para o cântico congregacional, pois como a igreja cantará algo com firmeza sem conhecer a letra? Fora a questão do repertório que tem que ser algo de fácil assimilação, sem notas tortas e sem grandes arranjos vocais para não dispersar a atenção que deve ser apenas do Senhor no momento da adoração.

Apesar de tudo, o ministério já tem até um nome e é visto com mais seriedade diante das pessoas. Fora que eles tem a melhor timbragem vocal de Angra (não falo isso para puxar sardinha de ninguém, mas todos sabem o quanto sou sincera aqui!).

Creio que é um caminho a percorrer em uma igreja tradicional que não aceita nem o "batei palmas ao Senhor". Louvo a Deus pela vida de cada um deles que não desistiu desse sonho e persistem, mesmo tendo que cantar apenas as canções lentas, porque são as que são vistas como espirituais.

Liderança?

Ministério de louvor é coisa séria. Iniciar um trabalho desse é doloroso em uma igreja que não aceita esse tipo de manifestação. Nossa postura diante das pessoas e da sociedade também determinará o quanto de trabalho que se terá para implantar nas pessoas uma mentalidade de "adorador". Sabe o "espírito de adorador" da canção do Nani Azevedo? Então, o "entoarei louvores, não cessarei meu canto, não pouparei a carne" (sacrifício de louvor: ficar em pé ao cantar, por exemplo), deve ser encarado com muita seriedade, primeiro pelos componentes do ministério.

Ter uma liderança é sadio! Ter uma voz a quem se reportar, alguém que direciona a vida espiritual do grupo e que é a ponte com o pastor na liturgia do culto, traz muitos benefícios. O louvor congregacional é algo que une a igreja e a transporta o povo à uma atmosfera de unidade diante de Deus.

Início do louvor na Assembleia de Deus

Eu penso que os cultos assembleianos são como são por causa do início da igreja. A falta de preparo dos obreiros que nasceram na base da explosão do evangelho pentecostal com Daniel Berg e Gunnar Vingre, sem cursos de música, sem teologia e muito menos preparo secular. Entendam!!! Naquele tempo os pastores das congregações eram as pessoas que mais se destacavam. Ninguém devia cantar direito. Os grupos e corais foram nascendo e todo mundo na ânsia de cantar queria apresentar uma canção para Deus. Ministério de Louvor? Que nada! Isso já era coisa dos batistas (que não eram pentecostais...) americanos (pensavam ele ser como os brasileiros, só que lá, o fogo já tinha acendido há muito tempo...).

Vocês conseguem perceber o quanto a tradição humana atrapalha? As pessoas insistem em manter algo que foi instituído por homem e acham que o que vem depois disso foram inovações humanas... ahahahaha...
Sim, porque já na época de Davi, a música era algo para ser apresentada no altar por um grupo separado. Todo o povo somente acompanhava e era levado à Deus pelos levitas. Que papel importante!

Século XXI
Tudo mudou! Hoje temos pessoas que são especializadas no assunto. Conhecem de música, tem talento e estão dispostas a desenvolver um trabalho sério na área musical da igreja. Chega de colocar qualquer irmãzinha que saiba solar para reger um grupo de irmãs! Cadê a excelência diante de Deus? Só saber balançar o braço não determina a qualidade de nenhum grupo! Vejam bem, estou falando de qualidade musical. A espiritual é outro patamar!

Estamos no século XXI! Onde a igreja já conhece a Bíblia não porque ouve o pastor a ensinar, mas porque a lê em casa e tem auxílio de outros livros para enriquecer sua interpretação. Todos têm belos CDs e DVDs de ungidos ministérios de louvor do Brasil, Austrália, Inglaterra e Estados Unidos e desfrutam de momentos de comunhão ao sentir a unção de Deus trazida por meio de canções cantadas com ginásios inteiros!

Não estou desvalorizando cantores solos, mas acho que cada um tem o seu papel. Cantar é diferente de ministrar. Quem ministra está servindo à igreja, não apenas com cânticos, mas com todo o entorno que envolve o desenvolvimento de um ministério.

Vamos viajar mundo...

Outro mito é sobre criar ministério de louvor para cantar por aí. Peraí! Não é bem assim que a banda toca. Ministério de louvor nasce em uma igreja sob o aval e cobertura de um pastor. Serve à igreja local primeiro. Depois, sem que haja interferência na congregação pode sair à convites em eventos. Mas esse não deve ser o foco. Essa não deve ser a principal razão. Assim como gravar CD. Tudo isso é consequência, mas pouca gente compreende a diferença.

Uma música só?

A dificuldade que encontramos com o tempo que nos é cedido em um culto para ministrar, nas Assembleias de Deus, é outro ponto a ser abordado. Quando um ministério de louvor ministra, ele não recebe uma simples oportunidade como de um grupo qualquer, ou seja, "CANTEM APENAS UMA MÚSICA". É mais do que cantar uma música.

O problema é que os cultos são congestionados com muita música. São muitos conjuntos. São as crianças, adolescentes, irmãs, irmãos, jovens, novos-convertidos, vovós, vovôs... Ah!!!! Quanto louvor sem qualidade nenhuma. Sim! Existem exceções. Mas nem todos os jovens (por exemplo), que estão cantando em um grupo, ensaiam. Nem todos tem a vida separada para apresentar um louvor a Deus e nem a consciência de que naquele momento estamos levando à igreja ao Santíssimo Lugar!

É claro que não sobra tempo para o pobre do Ministério de Louvor! Tem que ser rapidinho mesmo... porque a palavra de Deus, em um culto, tem que ter o maior tempo. E na verdade, não é o que acontece nas Assembleias de Deus.

Ministério "O Novo de Deus"


Voltando ao início do post, eu iniciei falando da minha chegada na AD Nova Angra 1. Quando lá cheguei, não havia ministério de louvor. E a ordem do culto era tal qual em qualquer Bleia.

Quando lá cheguei, logo pedi ao meu pai a liberdade para trabalhar e iniciar esse ardido trabalho. Logo observei os talentos da congregação. Vi quem se destacava ao louvar e quem tinha testemunho de vida. Conversei com as pessoas, fizemos nossa primeira reunião, nosso primeiro estudo sobre louvor e adoração e fui sincera quanto ao objetivo do grupo. Tentei passar tudo o que eu sabia, todo meu pequeno conhecimento na área e despertar neles o desejo de ter uma vida de adoradores e de consagração diante de Deus. Eu queria formar líderes e ministros de louvor e falei isso no início. Eu queria que eles tivessem o entedimento que solar uma canção não significava nada. Que o fato de eu estar solando alguns hinos não me davam maior importância. O que eu queria era que eles discernissem o que era ministrar louvor!

Foram vídeos de minsitrações, pregações, seminários, muitas conversas... enfim... foram dois árduos anos de iniciação para jovens que nunca cantaram com microfones na mão diante da igreja, sendo o centro das atenções, mas levando as atenções ao DONO das atenções.

Foi muito difícil no começo. Pois assim como lá, na sede, eu tinha que passar voz por voz. Demorávamos mais de um ensaio para passar uma música inteira. Mas elas pegavam rapidinho. Tínhamos só um rapaz, que com o passar do tempo também ministrava, pois seu chamado para isso é muito visível (Fernandinho!).

Só tínhamos dois músicos (e ainda são os dois), meu irmão, no teclado (ele acaba fazendo baixo e guitarra junto...rs), Jônatas, e o Joabe, na batera (que é um excelente baterista, começou a tocar na minha banda também).
Tínhamos muitas regras no início, como por exemplo: Não faltar a EBD e nem ao culto de ensino (se faltava não ministrava no domingo a noite...) e isso tudo era muito importante para o entendimento da importância da vida espiritual, embasada na palavra, na vida do adorador. Muita gente não entende isso e acha que basta estar nos ensaios.


O crescimento espiritual na vida de cada um é algo que vou levar por toda a minha vida. Lembro de cada um no início. Éramos eu, Cristiane, Crislene, Régis, Fernandinho e os músicos. Depois acrescentamos a Laynara (que com 13 anos tinha altas crises de identidade por ser uma adolescente com uma mente já crescida). Todos tinham muita vergonha de demonstrar qualquer sentimento ao pegar um microfone. Quase não falavam quando cantavam sozinhos.

A igreja também não nos recebia muito bem. Ficavam em pé quando cantávamos, pelo menos grande parte, e o pastor foi nos ajudando muito com isso aos nos dar liberdade para ministrar. Nos defendia quando alguém se levantava contra nós. Tínhamos realmente a sua cobertura espiritual e defesa.

Mas isso foi mudando... e como mudou! Me alegro ao ver uma igreja adoradora e super receptiva à adoração a Deus. A igreja rejeita os louvores que não exaltam a Deus. É claro que existem aqueles que sempre se levantarão contra um trabalho, mas deixemos esses com os fariseus, Sambalates e Tobias.

Me alegro ao saber que posso deixar qualquer um dos componentes ministrando louvor. Dão conta do recado e constrangem o povo de tanta liberdade na adoração. Nossos ensaios são práticos! Cada um já sabe sua voz em qualquer música nova e os ouvido estão bem afinados e as cordas vocais acompanham a harmonização!

Meu irmão teve um crescimento absurdo. Ele só tocava no início. Depois passou a cantar e até a liderar a ministração ao teclado. Surpreendeu a todos com seu carinho com o Espírito Santo e autoridade.

A Régis também ministra como gente grande e sabe o que fala, pois conhece a palavra... A Laynara foi embora para Poços de Caldas, mas saiu daqui me deixando a lembrança da doce ministração da canção "És meu tudo, és meu Senhor, és meu amigo, meu intercessor...". A Crislene tem um timbre incrível! Sou fã... Ela ainda é vergonhosa, mas acredito que ainda pode ser treinada para falar com segurança diante da igreja. A Cristiane já cantava sozinha, mas só cumprimentava a igreja. Hoje? Hum... Eu lhe peço que a convide para cantar em sua igreja! O Fernandinho é o figura! Ele tem um carisma incrível e uma versatilidade única. Ele tem seu estilo e consegue imprimí-lo em cada canção. Além de compor lindas canções está produzindo seu CD solo! O Joabe é um profeta do ritmo! Como ele tem unção ao tocar com suas baquetas os tom-tons, caixa, surdo, pratos, bumbo... Ele também está indo embora para Poços de Caldas.

Neste ano, ganhamos duas novas aquisições: Tiago e Ananda. O Tiaguinho foi um presente de Deus para nós e com sua maturidade espiritual está nos despertando ainda mais para Deus. A Ananda, uma fofa, está sempre disposta a aprender.

Vários músicos passaram por ali, mas não permanceram como o Julianderson e o Jogly, mas Deus sabe de todas as coisas.

Hoje, temos um nome "Ministério de Louvor O Novo de Deus" e já cantamos em vários locais fora da AD Nova Angra 1 por convites! Sim, as pessoas já conhecem nosso ministério e gostam! Algo que nos marcou também foi a visita do Nani Azevedo em nossa igreja. Nós cantamos com ele todas as canções e foi lindo! Não posso esquecer de nossa apresentação do projeto "Noites Angrenses", da Prefeitura de Angra, na Praça do Porto. Deus nos visitou ali e o demonio não ficou satisfeito, nada a nada... Foi uma batalha espiritual. Glórias a Deus!



(...)

Estou com um grande pesar no meu coração, pois, nesse domingo, será nosso culto de despedida da AD Nova Angra 1. Vou levar o "O Novo de Deus" para todo o sempre em meu coração e no meu álbum de casamento (sim eles ministraram lá e tiraram todo mundo do chão!) Vou sair de lá com meu coração partido. Mas depois faço outro post sobre isso.

(...)

O foco desse post é o louvor e adoração na Assembleia de Deus. Contei minha trajetória com dois ministérios e a diferença que faz ter a liberdade da liderança para desenvolver um trabalho de excelência.
A visão faz toda a diferença.
Meu sonho é fazer isso em todas as congregações do nosso campo. Louca eu? Sim, sou... eu sei.
Claro que tem muita resistência por aí e em algumas delas já tem um ministério de louvor formado e pessoas esforçadas para liderar.
Mas penso que um grande seminário com todas as pessoas que fazem o louvor nas congregações auxiliaria muito no crescimento.
Sonho? Talvez? Mas vou persistir nesse meu ideal de culto. Creio que não é meu ideal, mas é o ideal de culto de LOUVOR sincero, vertical e EXCLUSIVO à Deus.

(...)


Esse post, mesmo que grande, retrata um pouco das minhas aflições em desenvolver o meu chamado na minha denominação.
Chorei muito ao escrever cada palavra e lembrar de cada situação vivida. Hoje eu vejo que, cada experiência, valeu muito a pena.

15 comentários:

Fabio disse...

Elaine, linda essa sua reflexão!!! Me enxerguei em mtos desses relatos, com as dificuldades em inserir o louvor na liturgia de um culto... Deus te abençoe, e que vc seja sempre usada pra espalhar o louvor por esse Brasilzão todo!!! Amo você, querida irmã... COmo já disse, o começo de minha história com a Taci foi marcada pelas suas canções, e a dedictória no CD, foi algo que nos alegra até hj!!! Grande beijo...

Taiane disse...

Eles dizem que isso é a doutrina, que sempre foi assim ... Mas não é doutrina não, impedir a adoração não é doutrina! É isso que realmente acontece a adoração é impedida e são adiadas as grandes coisas que Deus gostaria de fazer. De que vale um hino de 'fogo' se não houver uma letra que toque nosso coração, de que adianta se não for ministrado sobre nossas vidas aquilo que ela realmente passa? Não vale de nada, nos dias de hoje precisamos de palavra pois sem ela não conseguimos ficar de 'pé', boom seria se todos ou pelo menos alguns tivessem essa coragem pra realmente muudar , mudar pra melhor! Ter a 'mente pequena' é diferente de ter respeito, já que é assim que dizem, que temos que ter o tal 'respeito' , mas a verdade é que eles tem a 'cabeça pequena' siiim 'cabeça fechada' e o respeito mesmo não existe . Mas enfim quem sabe um diia possamos ver essa história mudar, quando for deixado de lado tanta bobeiraa que não tem nada haver com vida esperitual e começarmos a atentar as coisas que realmente acrescentam na nossa vida espiritual como eu disse no Face, PODER ADORAR E SE SENTIR LIVRE PRA ISSO! =) by: Taiane

SILMARA disse...

Parabéns Elaine, lindas palavras. Tenho certeza que Deus a honrará em todos os seus sonhos e projetos. Sinto meu coração transbordando de alegria por ver pessoas como vc preocupadas com o louvor na igreja. Não sou cantora, mas amo o louvor, não qualquer louvor, mas aquele louvor sincero, sem qualquer intenção que não seja a de LOUVAR E BENDIZER O NOME DO SENHOR. A Ele toda Honra e toda a Glória!!!

Laís Vilela disse...

Elaine, diante de tudo isso que vc escreveu só posso dizer...Glória Deus por tudo!!
Parece que você traduziu TODOS os meus sentimentos, emoções relacionados a isso...Tanto que te escreverei um email...amanhã rs
Deus abençõe sempre!
Beijocas♥

ROSA disse...

É Elaine, as pessoas se acostumaram a uma liturgia vazia e repetitiva. Cantam e não sabem nem sobre o que estão cantando. Já se cantassem os hinos da harpa ou cantor cristão entendendo e absorvendo o que estão cantando, mas não, entram no ritualismo sem resultado nenhum de adoração sincera a Deus. "Onde mandares irei""" não vão nem a esquina às vezes....
Enfim, o que vejo a muito tempo, desde o precursor e perseguido Asafe Borba, é que quando se tem a convicção do chamado de Deus, não se desiste, então aproveitamos o mover de Deus e ouvimos Heloisa Rosa, Ricardo Robortela, Cirilo e tantos outros. Música para Deus tem que ter qualidade, sinceridade de coração em ministrações que são para poucos e muita espiritualidade, o que falta demais (depois, os sensacionalistas são os adoradores) tem gente que dá uma de mal entendido, ou é mesmo.Se ufanam de suas orquestras e corais e conjuntos mil para apresentar a quem? Bom, Deus tem o melhor ainda nesta terra para nós e espera nosso melhor aqui, fico penalizada com quem espera só para o céu!!!!Fiquem na Paz!

FERNANDA SENA disse...

Poxa... isso tudo foi tão edificante para mim.
Minha cabeça está confusa, porém reflexiva. No meu entendimento o que valia era a boa vontade... apenas isso. Agora percebo que o preparo tbm é consagrado a Deus. Algumas pessoas dizem que "igreja" é desfile de moda... mas vc não se vestiria com muito capricho se fosse a uma boite? Então pq não dar o melhor de si para Deus?
Eu não faço parte da juventude pq sou casada (não aos olhos de Deus) e pq não canto nadinha... penso que isso não deve me afastar da juventude, pelo contrario, devo me esforçar e aprender o que não sei e consertar o que está errad aos olhos de Deus.
Obrigada, Elaine... mais uma vez...

Elaine Castro disse...

Querida Fernanda,
Fiquei muito contente ao vê-la, ontem, sentadinha, lá na igreja. Isso alegrou o meu coração e fez perceber o quanto vale a pena investir o nosso tempo em pessoas.
Pois fico feliz em saber que se conscientizou que deve procurar se esmerar em fazer coisas para Deus e consertar o que está errado.
rs...
Seu lugar é na juventude. Mesmo que não cante nadinha, lá vai aprender e desenvolver outros talentos, pra glória de Deus!

uma razão pra cantar disse...

vc é audaciosa e mto corajosa por traduzir o q mta gente pensa e não tem essa cara pra falar, Parabéns..
por ser integrante do Kemuel, q é um coral interdenominacional, temos mtos q inclusive são da Assembléia, e a gente sempre brinca com os que são, pq justamente nelas encontrarmos algumas dificuldades de ministrar, e pensamos, pq então nos convidam? se ha uma rejeição tão grande. Não mudamos nada, ministramos igual em todas as igrejas, mas a recepção é diferente, é claro q tem suas excessões, ja tivemos algumas q nos receberam tão bem, q ficou marcado com mto carinho, gostei mto do seu desabafo.. mas infelizmente, tem coisas q não mudam, e eu acho mesmo q esse tradicionalismo assembleiano é parcialmente imperial, pq existem excessões, mas a grande maioria na sua hierarquia não tem a mente aberta pra mudança..
Parabéns mais uma vez..bjs

Jônatas Castro disse...

\o/

Muitas BRÉIAS já passaram por todo esse processo. Acredito que no MSF não vai ser diferente, mas é um processo. Um processo que diverge tanto de cima (da liderança) quanto de baixo (do povo). Quanto mais cabeças a frente, mais rápido será a mudança! "Mas é preciso que vocês continuem fiéis, firmados sobre um alicerce seguro, sem se afastar da esperança que receberam quando ouviram a boa notícia do evangelho." (Cl 1.23)

Deus seja louvado!

Natália Pessanha disse...

Nossa... estou sem palavras! Pois esta sua expressao atraves deste post é exatamente o que rege o meu coração, porém não consigo traduzir em palavras! Como explicar? É tão dificil viver desta forma... na minha igreja infelizmente é assim. E sabe como eu me sinto? LIMITADA, a adorar um Deus que não tem limites e fronteiras.. Mas Deus sabe de todas as coisas, e sei que ELE tem me incorajado e me preparado para um NOVO TEMPO... obrigada por compartilhar este momento comigo... fiquei tão impressionada que choro por dentro (lágrimas nao rolam...) ao ver que a necessidade da igreja é a mesma em vários lugares... mas o que me impulsiona é acreditar que dias melhores virão... e se o meu coração está cheio de amor por esse DEUS, ELe agirá em nosso favor.
Um grande beijo Elaine... e saiba que o seu esforço e dedicação ao Senhor as fará galgar lugares mais altos. A paz...

Arely εïз disse...

Paz Elaine! me identifiquei com algumas situações que vc enfrentou no inicio do grupo de louvor! Bom, pelo menos aqui em presidente prudente, interior de SP, já estamos "mudando" a cabeça dos irmãos, hoje a igreja já se levanta para adorar a Deus conosco, td bem que alguns ainda ficam em pé com a cabeça longe, rs... mas muitos adoram com as mãos levantadas! Isso é maravilhoso, eu pude ver essa evolução na igreja aqui, o momento do louvor já é essencial no culto... cantamos o louvor congregacional apos a leitura, e depois antes da mensagem cantamos mais 2 geralmente... O Senhor tem feito grandes coisas em nosso meio... Peço sua ajuda em oração pelo nosso ministério, se chama grupo de louvor intimos do rei, to enviando um link d um dia que cantamos na igreja sede... Estarei orando pelo seu ministerio...que o Senhor continue te abençoando grandemente!

Link: http://www.youtube.com/watch?v=lZv_PqMMHUA&feature=related

Fik na Paz
Bjos
Arely

Regislane Ribeiro disse...

Naaaaaine,como é lindo testificar a ousadia do espírito em sua vida. Cresci com esse mesmo sentimento,e dou graças ao bom Deus que hoje tenho a total liberdade para louvar ai meu Senhor. E você faz parte disso,através de sua vida,suas palavras me impactaram e ao passar do tempo conceitos foram mudados,fé renovada,e descobri os dons do espírito para a minha vida. Eu não quero que você vá embora Naine,precisamos tanto de você,do Luis,do Jojo,pooxa isso é ABANDONO DE INCAPAZ! hauhsaushaiuhsuaih
Sério,vocês fazem toda a diferença em nosso Conj. Jovem,no Min. O NOVO DE DEUS,em minha vida particular.. eu preciso dos seus conselhos,das suas broncas,dos seus abraços sempre tão acolhedores e sinceros..
Obrigada por acreditar em mim,em NÓS (MELODIA CELESTE),por lutar conosco,por chorar conosco,pela atenção,pelas noites em claro,pelas tardes ensaiando louvores ao nosso Paizinho...Que Deus te abençõe,e que mais e mais vidas sejam alcançadas por esse amor tão especial que você tem. Jamais te esquecerei,Elaine Castro :)
Você faz toda a diferença na minha vida,e creio que na vida de outras pessoas também. Deus e contigo,não desanime. Não me esquece tá? EU TE AMO ♥

Karol disse...

Adorei o post!!! Vc disse a respeito de uma das componentes do grupo de vcs, ("Ela ainda é vergonhosa, mas acredito que ainda pode ser treinada para falar com segurança diante da igreja"), De verdade gostaria de saber é possível, existe algum tipo de treino para se falar diante da igreja?? falo isso porque sou uma pessoa que já canto a alguns anos, ñ me considero uma pessoa tímida sou bastante extrovertida por sinal, mas qdo recebo oportunidade para cantar subo no púpito cumprimento as pessoas e já começo a cantar.(rsrs)parece engraçado mas isso me incomoda e ñ só eu, mas muitas pessoas passam por isso. Nos travamos!!! Gostaria de saber falar diante da igreja... Se vc puder me ajudar me dando algumas dicas, serei muito grata!!! Acho que esse assunto vai dar outro post!! rsrsrs bjss Obrigada.

Anônimo disse...

Olá, conheci o blog por acaso e me encantei, concordo d+ com vc e me pego as vezes achando que Deus não me usa mais ou estou sem unção DEle pq a igreja nao recebe meu louvor? fico ensaiando estudando a palavra para na ministração vir realmente algo de Deus e a igreja lá parada me olhando.... mas se chega um ou uma irmazinha "desafinada" ate (me desculpem ) que cante algo tipo o altar ta fumegando..a igreja enche de glória e até ouço essa sim tem comunhão com Deus não entendo mesmo... hino com unção é hino antigo ou só os da harpa e cantor cristão.... e nossas orações e o preço que pagamos ? não serve...serio...fico por entender..desculpa o desabafo..achei fofo seu blog Deus te abençoe bjs

Ana.

Anônimo disse...

A paz do Senhor vasos de Deus,quem vos fala é um assembleiano da região norte do país,mais precisamente do Amazonas,meus irmãos é com imensa alegria que descobrí essa página,para quem gosta de louvor,adoração,unção,benção e restituição,voçês são a tribo que Deus consagrou para esse ministério glorioso,ainda há mais por vir e sei que o que Deus ratifica não pode ser revogado,fiquem na paz do Senhor,AMÉM????